Revisão da bike: como é feita e como verificá-la?

Quando utilizamos a bike como meio de transporte ou para o lazer, é necessário pensar em como fazer a manutenção do equipamento corretamente. Isso porque ninguém quer ficar na mão num momento de necessidade durante uma pedalada, não é mesmo? Por isso, a revisão da bike é super importante.

A verificação da corrente, canote, cassete e outros itens devem ser analisados cuidadosamente. E não adianta esquecer da responsabilidade, pois o cuidado com a bicicleta é realmente necessário para manter tudo em ordem e garantir seu funcionamento correto. Mesmo assim, muitas dúvidas surgem, como: de quanto em quanto tempo fazer a revisão?

Para tirar essas dúvidas, esse post vai falar sobre revisão da bike. Confira!

Como fazer a revisão da bike?

Para fazer a revisão da bike, é importante contar com um profissional da área, como uma assistência para bicicletas ou mecânico de bike. Essas oficinas estão em todas as regiões, visto o crescimento desses equipamentos em áreas urbanas. A revisão do equipamento segue alguns passos obrigatórios, para conferir se todos os detalhes estão em ordem. Veja!

Limpeza

A limpeza da bicicleta é essencial. Isso porque por meio dela é possível retirar as sujeiras que podem prejudicar o funcionamento e até gerar problemas maiores. A limpeza é feita manualmente em cada ponto essencial da bicicleta. Se for fazer em casa, utilize sabão em pó ou detergente, balde com água, borrifador, pincel, um pano, escova, outro borrifador para enxague e lubrificante. E não esqueça de usar uma roupa antiga para não estragar as novas!

Retirar os componentes

O segundo passo é retirar todos os componentes que são removíveis, como os pedais, as rodas e itens da direção. Isso serve para limpar cada um deles, separadamente e forma mais completa. Também é necessário, depois do desmonte e limpeza, fazer a lubrificação de cada uma delas, garantindo um serviço de revisão da bike completo.

Remontagem da bike

Nesta hora é preciso atenção, então, ninguém melhor do que um especialista para fazer todos esses procedimentos de maneira adequada. Isso porque, no momento em que ela é remontada, os ajustes necessários são feitos. Como análise dos fios, movimento central, do guidão, do pedal e de itens que provavelmente necessitarão de troca no momento ou futuro por conta do desgaste, pois podem oferecer riscos à bike.

Quais características podem ser observadas no dia a dia?

É importante levar a bike para a manutenção de maneira programada. Isso evita que você fique parado no meio do caminho por causa de alguma falha. Fique atento também aos sinais que indicam que a revisão deve ser feita antes do esperado, como barulhos, ruídos no frio, lentidão no engate das marchas, estalos nas correntes.

Esses indicativos significam que você deve procurar urgentemente um profissional para analisar a situação da bike. Além disso, é importante acompanhar a situação dos pneus, pois pneus carecas têm mais chances de furar e derrapar.

Por fim, acompanhe de perto a situação da corrente. Por exemplo, se está muito gasta e se o encaixe está correto dos dentes da coroa e das catracas. Além disso, os freios não podem apresentar ruídos, tanto os mecânicos quanto os hidráulicos.

Qual é a importância de procurar um profissional?

É essencial buscar um profissional para a revisão da bike. Isso porque, a menos que você tenha estudado muito para isso, somente uma pessoa habilitada vai saber como limpar, lubrificar, remontar e verificar se precisa de algum ajuste de maneira correta. Afinal, ninguém melhor que um profissional para recomendar as trocas de peças de forma ideal. Se a remontagem for feita incorretamente, compromete o desempenho do equipamento, o que pode ser até perigoso e causar acidentes.

Qual é o intervalo entre as revisões?

Analisar periodicamente a bike com a revisão é necessário para mantê-la com um funcionamento adequado para qualquer percurso. Os praticantes comuns devem pensar em uma média de revisões a cada semestre. Já os atletas devem fazer isso de maneira muito mais frequente, conforme as verificações de danos aos equipamentos e com menos do que essa quilometragem já percorrida.

O intervalo necessário entre as revisões é feito por km rodado e também pela intensidade dos treinos. Para bikes de competição são ainda mais necessários, graças à exposição da bike a diferentes tipos de solos e treinos intensos.

Mas, mesmo não se tratando de atletas, revisões devem ser periódicas. Um número que pode ser considerado é o de 1500 km percorridos para cada revisão para usos comuns, e menos ainda para os atletas, que devem observar constantemente as condições de cada equipamento e verificar os desgastes já sofridos.

Existem linhas de produtos voltadas para algumas manutenções pequenas da bike que podem ser feitas em casa. É importante também ter esse cuidado, para maior durabilidade de cada acessório da bicicleta.

Quanto é isso em tempo?

Esse tempo variará de quanto você percorre com a sua bike, mas, para ter uma média, vamos considerar alguns quesitos. Para o uso urbano, a média de meses considerado ideal para revisão é de seis meses. Logo, leve ao especialista a cada semestre para garantir a integridade do produto, a maior durabilidade e performance.

Para o uso esportivo e o off-road, o ideal é a cada dois a três meses. As avarias podem não ser vistas a olho nu, e somente detectadas no momento da revisão, por isso é tão importante realizar esse passo a cada poucos meses para o profissional verificar a integridade de cada um dos equipamentos, deixando-a segura e equilibrada para as competições e trajetos.

Por conseguinte, no momento da revisão da bike, todos os componentes são limpos e lubrificados. Além disso, é feito o desmonte e remontagem para ajustar os eixos corretamente, de maneira a corrigir possíveis problemas. O ideal é que seja feito por profissionais da área, afinal, é um processo que demanda cuidado e ajustes pontuais. Você mesmo pode fazer algumas manutenções pequenas em casa no dia a dia com produtos para bike, e também a limpeza e lubrificação para maior durabilidade dos equipamentos.

Gostou do conteúdo? Siga a gente nas redes sociais, como Instagram, Facebook, Twitter e LinkedIn!