6 melhores upgrades para bike que você precisa conhecer

Tanto quem anda nas cidades com as bikes como meio de transporte quando quem participa de campeonatos de ciclismo podem chegar em um ponto onde é necessário fazer upgrades. Assim, saber os tipos de upgrades para bike é essencial para buscar essa otimização. Isso porque elas podem ser muito melhores aproveitadas quando algumas trocas são feitas. Isso é bom, porque muitas pessoas têm a dúvida ao comprar a bicicleta de: e se no futuro eu quiser uma bike melhor para acompanhar meus resultados?

Isso não é um problema. Para quem tem o objetivo de melhorar cada vez mais o desempenho das bikes e sair do básico, saber sobre quais pontos da bicicleta é possível trocar para que haja a melhora é essencial. As opções são itens como por exemplo a marcha, pedal, catraca, cubo da roda, entre várias outras. Para saber os detalhes de como realizar o upgrade para bikes, esse artigo contará os melhores que você precisa conhecer. Confira!

O que são upgrades para bike?

Os upgrades para bike são as medidas tomadas para melhorar o desempenho da bicicleta. Isso pode ser feito por meio de troca de certos equipamentos da bicicleta que a ajudam a ficar mais veloz, ágil e estável. Dessa forma, pode oferecer diversos benefícios como:

  • aumentar o rendimento;
  • deixar a bike mais confortável;
  • aumentar a durabilidade da bike;
  • deixá-la mais segura;

Todas essas vantagens de fazer um upgrade para bike fazem com que a motivação para pedalar aumente ainda mais.

Quando vale a pena investir em upgrades para bike?

Vale a pena investir no upgrade para bike quando o que você tem disponível não está mais atendendo as suas expectativas. Porém, em valor, não existe um preço ideal que define quanto investir nesse upgrade. Uma boa medida é se basear até 60% do valor da bike, se for mais do que isso, considerar comprar uma nova é uma opção. Apesar disso, há diversos upgrades para bike que podem ser feitos antes de comprar uma nova.

Quais os melhores upgrades para bike?

Os melhores upgrades para bike estão relacionados às trocas de equipamentos presentes. Isso faz com que o rendimento da bike seja otimizado. Podem ser trocados peças como:

1.Marchas

No momento em que o ciclista pensa em fazer o upgrade, uma das primeiras coisas que vêm a cabeça é a marcha da bike. Verificar primeiro quantas a bicicleta já possui é o primeiro passo. Sabendo disso, pode-se decidir se o melhor é trocar ou não. Quando a bike tem 8 ou mais velocidades é mais fácil de realizar essa troca, diferente de quando tem 6 ou 7. De qualquer maneira, tanto se for para uma melhora na velocidade da bike quanto para deixá-la mais lenta, é necessário trocar outras peças da bike.

2.Catraca ou cassete

Uma das primeiras peças que o ciclista deseja fazer o upgrade é a catraca ou o cassete da bicicleta. Isso porque ela está relacionada a velocidade que a bicicleta consegue atingir e também a facilidade de realizar subidas. Essas peças, mesmo sendo similares, existem diferenças. Essas variações estão relacionadas à composição e a construção. Enquanto a catraca possui um sistema de rolagem mais completo, o cassete é ligado no free hub presente no cubo da roda. Logo, caso haja esse upgrade, outro equipamento que deverá ser trocado é o free hub, caso haja menos de 8 velocidades.

3.Cubo da roda

Trocar o cubo da roda é fundamental quando a bike ainda não tem o cassete e o upgrade que está sendo realizado é maior. Bem como quando a bike tem catraca ou roda livre. Isso porque a catraca fica diretamente ligada ao cubo da roda, enquanto o cassete interliga a mesma com o free hub.

Para comprar um cubo da roda ideal é necessário saber quanto raios a roda possui para que a escolha seja compatível ao aro. A raiação dos cubos de free hub vão de 21 a 42 furos. Para saber qual é o seu, veja no modelo da sua bike ou leve ao mecânico especialista.

4.Pedais

A troca dos pedais também ajuda a promover maior praticidade na condução da bike. Além de uma maior segurança. Por isso, os pedais devem ser confortáveis e não devem estar muito desgastados para evitar que quebrem no meio do percurso e te deixem na mão. Logo, a troca dos pedais é um upgrade importante para a bike.

Um bom exemplo de otimização é escolher um Pedal Clip, afinal, ele gera maior estabilidade e auxilia no posicionamento correto dos pés por conta do design ergonômico. Isso otimiza a força da pedalada.

5.Freios

A pastilha de feio e o freio da bike também podem ser trocados. Eles duram em torno de 30 a 40 mil km. Depois disso é indicada a troca pelo desgaste na frenagem. É um ponto de extrema segurança para a bike, fazendo toda a diferença, pois, quando mais desgastados, menor é a friccção, o que deixa a bike com um índice de proteção muito abaixo do necessário.

6. Selim

Também é possível trocar o selim da bike também, escolhendo uma opção que gere maior conforto para o cliclista ao sentar. Quando a troca for feita, para durar ainda mais, é necessário fazer a correta lubrificação do selim, isso é feito a partir do uso de pomadas tipo chamois, que são feitas para diminuir o atrito entre o tecido da bermuda e o selim. Também é necessário evitar o uso de hidratantes ou vaselina, isso porque esse tipo de produto pode engordurar as roupas e o selim, danificando-os.

Assim, é possível otimizar a bicicleta realizando upgrade para bike. Essas peças devem ser escolhidas com cuidado, primando por materiais de qualidade e originais. A melhora das peças pode ser feita com trocas como do selim, que deixa o trajeto mais confortável; dos pedais, otimizando as pedaladas; dos feitos, gerando uma maior segurança para o percurso; das marchas, cassete e catraca, interferindo positivamente na velocidade da bike. Por fim, é importante lembrar que, caso muitas coisas demandem a troca e o valor ultrapasse o preço pago pela bike, também é possível considerar investir em uma nova!

Gostou do post? Então deixe o seu comentário!